Tem que ser “Sempre a Mesma Coisa”?

publicidade
Gostou? Curta e Compartilhe!
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Começaram as campanhas eleitorais para prefeito e vereador de 2020 e, como não podia deixar de ser, o circo já foi montado. As aberrações “eleitoreiras” estão aí e a “politicada” já começou a colocar a abóbora na cabeça pra chamar a atenção dos eleitores e vender seu peixe. Todo mundo correndo atrás de voto. Alguns certamente para entrar na luta em defesa dos interesses do seu eleitorado, mas grande parte, infelizmente, não está nem aí para o eleitor e quer mesmo é entrar na mamata, que deve ser grande porque quem tá lá se agarra com unhas e dentes para não sair.

Tem candidato que devia mesmo é ser comediante, porque consegue arrancar gargalhadas com suas estratégias de campanha. Dia desse uma notícia informava que um grande número de candidatos tinha se registrado para as eleições, incluindo o sobrenome “Bolsonaro” em seu nome de candidato. Se o Bolsonaro for numerar esses filhos, vai do 05 até pelo menos 200. Uma filharada política.  Outros tantos colocaram “Lula”. E por aí foi! Teve até “Trump”. O brasileiro não é mole, a criatividade vai longe. Mas melhor ainda foi o debate, pelo menos no Rio de janeiro. Em meio a alguns candidatos que até pareciam querer um debate construtivo, tinham outros que se mostraram verdadeiros comediantes, com o mesmo papo-furado de sempre e os ataques de quem não tem o que debater, ou simplesmente não quer debater, mas sim aparecer. O que devia ser um instrumento para auxiliar a decisão do eleitor acaba se mostrando um desserviço a população.

Muitas caras repetidas ali que, pelo menos eu, não quero ver nunca mais ocupando um cargo público no Rio (E em lugar nenhum). Se tivesse aquele esquema de ligação para eliminar candidato, igual em reality show, eu ia ter que ligar várias vezes. E a primeira ligação seria para tirar correndo o sonso do Eduardo Pães. Só a misericórdia. O atual prefeito do Rio, o Marcelo Crivella, seria logo o segundo da minha lista de eliminados. E Claro a família Garotinho, representada ali pela “Garotinha” que já fez parte do governo Crivella, mas parece que não gostou de ser comandada e quer mesmo é ficar no comando.  Esses daí são bons exemplos do que não quero para o Rio e, sem eles, talvez o debate pudesse ter sido realmente produtivo.

Mas isso pode mudar! Se já faz tempo que tem sido “sempre a mesma coisa”, é por culpa do próprio eleitor que vem reelegendo esse mesmo pessoal que vive (e vive bem!) da política. Hipócritas que enriqueceram na política, famílias que se perpetuam no poder e na corrupção como temos visto nos noticiários. Não dá para ficar caindo sempre no mesmo papo furado. O Rio está sucateado e praticamente falido e esse povo que já teve chance de fazer alguma coisa pela Cidade Maravilhosa, não fez. Então desapega deles! É só se informar e você vai achar coisa muito melhor do que eles. O nosso Rio merece!!

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *